Saltar para: Post [1], Comentar [2], Pesquisa e Arquivos [3]

O Meu Olhar...

"Os teus olhos tem um que ver que nos meus fizeram acender uma chama, são belos, cativos; e apresionados os meus ficaram. Se deixasse de os ver, os meus cegavam, pois sem os teus olhos os meus mortos se calavam e vazios ficavam." RS

"Os teus olhos tem um que ver que nos meus fizeram acender uma chama, são belos, cativos; e apresionados os meus ficaram. Se deixasse de os ver, os meus cegavam, pois sem os teus olhos os meus mortos se calavam e vazios ficavam." RS

O Meu Olhar...

24
Fev07

O Que Cabe Fazer a Cada Interveniente

Suaveneno

A organização do enlace exige a divisão de tarefas entre noivos, pais e respectivos padrinhos. Para além disso, cada um deve saber muito bem o que tem de fazer nesse dia especial.

Se deseja viver um dia magnífico, não queira organizar a boda sem a ajuda da família. De facto, já pensou que será muito mais fácil para si se todos colaborarem?

Como não é todos os dias que os filhos assumem um compromisso que se deseja para o resto da vida, de certeza que os progenitores pretendem ajudar, pois isso é algo que lhes dá prazer e orgulho. Por isso, não negue a colaboração dos pais e padrinhos. A organização do enlace exige a divisão de tarefas, que devem ser repartidas pelos pais e respectivos padrinhos dos noivos. Assim, tudo correrá bem e, no dia da boda, estará bonita e descansada, pois sabe que terá pessoas dispostas a solucionar um eventual problema de última hora que possa surgir.

Quem paga o quê?

O planeamento de um casamento exige estabelecer um orçamento de modo a evitar uma derrapagem financeira. Assim sendo, as duas famílias precisam de marcar uma reunião para discutir um limite para cada despesa.

Reza a tradição que o é da responsabilidade dos pais da noiva, mas os hábitos mudaram e ambas as partes dividem as despesas. Contudo, cabe aos pais da noiva ficarem encarregue de pagar convites, flores para a decoração da igreja, e para transportar o casal. A família do noivo assume o pagamento dos custos da documentação, honorários da cerimónia religiosa, fato do noivo, bouquet da noiva e lua-de-mel.

Compete ao noivo pagar as alianças, embora também seja usual ser o padrinho a assumir essa despesa. A madrinha da noiva deverá oferecer o vestido.

Sabia que…

Caso o orçamento para a realização da boda o permita, poderá contratar os serviços de uma empresa de organização de eventos. Esta é uma alternativa para quem não faz a mínima ideia do tipo de festa que pretende organizar, nem tem tempo para se dedicar a cem por cento a todas as etapas. É uma despesa extra, que lhe garante, à partida, a concretização de um dia perfeito.

O enlace na Igreja

Se o casal decide casar pela igreja, reza a tradição que a cerimónia deve ser realizada na freguesia da noiva. Caso não seja possível, é eleita outra paróquia. No dia do casamento, o noivo entra na igreja com a mãe e aguarda, de pé, no altar a chegada da amada. Nesta altura, a senhora deve ocupar o segundo lugar no primeiro banco do lado direito. O pai do noivo entra com a mãe da noiva, que ocupa o primeiro lugar do banco do lado esquerdo, enquanto o senhor junta-se à mulher. Os padrinhos sentam-se ao lado dos respectivos pais dos nubentes.

A tradição permite que a noiva chegue atrasada à igreja no máximo 15 minutos. Nesse momento, os meninos das alianças seguem à frente da noiva, que entra de braço dado com o pai. Este, ao chegar ao altar, deve entregá-la ao noivo. Durante a cerimónia, o noivo fica à direita e a noiva à esquerda.

Depois de trocarem as alianças, os noivos e os padrinhos têm de permanecer na igreja para as habituais assinaturas. Vejamos, agora, a saída do local:
Os recém-casados são os primeiros do grupo a abandonar a Igreja, acompanhados pelos meninos das alianças.
À saída, ele deve dar o braço direito à amada.
O pai do noivo com a mãe e vice-versa;
Os padrinhos da noiva;
Os padrinhos do noivo.
Entretanto, já deve estar formado e designado corredor de honra, convidados reúnem-se à entrada da Igreja para atirar pétalas (símbolo de sensibilidade e respeito mútuo) e arroz (representa prosperidade). A última viatura a abandonar o local deve ser a que transporta os recém-casados, pois, quando chegarem ao copo-d’água, os convidados já devem lá estar.

Fonte: Revista "Mulher Moderna" - Especial Noivas, Janeiro de 2007 

Comentar:

Mais

Se preenchido, o e-mail é usado apenas para notificação de respostas.

Este blog tem comentários moderados.

Este blog optou por gravar os IPs de quem comenta os seus posts.

Mais sobre mim

foto do autor

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Arquivo

  1. 2012
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2011
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2010
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2009
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2008
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D
  66. 2007
  67. J
  68. F
  69. M
  70. A
  71. M
  72. J
  73. J
  74. A
  75. S
  76. O
  77. N
  78. D
  79. 2006
  80. J
  81. F
  82. M
  83. A
  84. M
  85. J
  86. J
  87. A
  88. S
  89. O
  90. N
  91. D