Sábado, 24 de Fevereiro de 2007
O Que Cabe Fazer a Cada Interveniente

A organização do enlace exige a divisão de tarefas entre noivos, pais e respectivos padrinhos. Para além disso, cada um deve saber muito bem o que tem de fazer nesse dia especial.

Se deseja viver um dia magnífico, não queira organizar a boda sem a ajuda da família. De facto, já pensou que será muito mais fácil para si se todos colaborarem?

Como não é todos os dias que os filhos assumem um compromisso que se deseja para o resto da vida, de certeza que os progenitores pretendem ajudar, pois isso é algo que lhes dá prazer e orgulho. Por isso, não negue a colaboração dos pais e padrinhos. A organização do enlace exige a divisão de tarefas, que devem ser repartidas pelos pais e respectivos padrinhos dos noivos. Assim, tudo correrá bem e, no dia da boda, estará bonita e descansada, pois sabe que terá pessoas dispostas a solucionar um eventual problema de última hora que possa surgir.

Quem paga o quê?

O planeamento de um casamento exige estabelecer um orçamento de modo a evitar uma derrapagem financeira. Assim sendo, as duas famílias precisam de marcar uma reunião para discutir um limite para cada despesa.

Reza a tradição que o é da responsabilidade dos pais da noiva, mas os hábitos mudaram e ambas as partes dividem as despesas. Contudo, cabe aos pais da noiva ficarem encarregue de pagar convites, flores para a decoração da igreja, e para transportar o casal. A família do noivo assume o pagamento dos custos da documentação, honorários da cerimónia religiosa, fato do noivo, bouquet da noiva e lua-de-mel.

Compete ao noivo pagar as alianças, embora também seja usual ser o padrinho a assumir essa despesa. A madrinha da noiva deverá oferecer o vestido.

Sabia que…

Caso o orçamento para a realização da boda o permita, poderá contratar os serviços de uma empresa de organização de eventos. Esta é uma alternativa para quem não faz a mínima ideia do tipo de festa que pretende organizar, nem tem tempo para se dedicar a cem por cento a todas as etapas. É uma despesa extra, que lhe garante, à partida, a concretização de um dia perfeito.

O enlace na Igreja

Se o casal decide casar pela igreja, reza a tradição que a cerimónia deve ser realizada na freguesia da noiva. Caso não seja possível, é eleita outra paróquia. No dia do casamento, o noivo entra na igreja com a mãe e aguarda, de pé, no altar a chegada da amada. Nesta altura, a senhora deve ocupar o segundo lugar no primeiro banco do lado direito. O pai do noivo entra com a mãe da noiva, que ocupa o primeiro lugar do banco do lado esquerdo, enquanto o senhor junta-se à mulher. Os padrinhos sentam-se ao lado dos respectivos pais dos nubentes.

A tradição permite que a noiva chegue atrasada à igreja no máximo 15 minutos. Nesse momento, os meninos das alianças seguem à frente da noiva, que entra de braço dado com o pai. Este, ao chegar ao altar, deve entregá-la ao noivo. Durante a cerimónia, o noivo fica à direita e a noiva à esquerda.

Depois de trocarem as alianças, os noivos e os padrinhos têm de permanecer na igreja para as habituais assinaturas. Vejamos, agora, a saída do local:
Os recém-casados são os primeiros do grupo a abandonar a Igreja, acompanhados pelos meninos das alianças.
À saída, ele deve dar o braço direito à amada.
O pai do noivo com a mãe e vice-versa;
Os padrinhos da noiva;
Os padrinhos do noivo.
Entretanto, já deve estar formado e designado corredor de honra, convidados reúnem-se à entrada da Igreja para atirar pétalas (símbolo de sensibilidade e respeito mútuo) e arroz (representa prosperidade). A última viatura a abandonar o local deve ser a que transporta os recém-casados, pois, quando chegarem ao copo-d’água, os convidados já devem lá estar.

Fonte: Revista "Mulher Moderna" - Especial Noivas, Janeiro de 2007 



publicado por Suaveneno às 19:13
link do post | comentar | favorito

Quarta-feira, 21 de Fevereiro de 2007
Bouquet e Jóias

Bouquet

São cada vez mais diversificados, de modo a satisfazer os desejos das noivas. Ao escolher o ramo, tenha atenção à sua estatura, ao vestido e ao tipo de cerimónia. Para além disso, lembre-se que cada flor tem um significado próprio - por exemplo, a flor de laranjeira representa a pureza, enquanto a rosa simboliza a beleza. Tem liberdade para idealizar o bouquet, mas poderá retirar algumas ideias dos catálogos disponíveis nas floristas. Vejamos, agora, os modelos mais comuns:
• Como o próprio nome indica, este ramo, de formato alongado, é carregado no braço, proporcionando ao corpo a ilusão de maior altura.
• Por ser sofisticado combina com vestidos mais requintados, com cauda e pouco decotados. É a opção certa para mulheres de formas generosas.
• É igualmente designado por “estilo francês”, sendo o mais solicitado por apelar ao romantismo. Deve ser a primeira escolha de noivas de baixa estatura ou que usem um vestido curto.

Jóias

Convém sempre lembrar que deverá ser moderada na hora de escolher as jóias, uma vez que é proibido "carregar" o visual. Neste caso específico, quantidade não é sinónimo de qualidade. O segredo é simples e eficaz, ou seja, consoante o vestido escolhido, por vezes, basta uma elegante gargantilha ou uns brincos discretos, para dar um toque especial à toilett. Caso tenha alguma jóia de família que seja uma verdadeira relíquia e combine na perfeição com o look pretendido, não hesite em colocá-la para ficar deslumbrante.

Fonte: Revista "Mulher Moderna" - Especial Noivas, Janeiro de 2007 



publicado por Suaveneno às 22:28
link do post | comentar | favorito

Sinta-se uma noiva Deslumbrante

É uma das tarefas mais árduas, pois, além de bonito e original, deve ser o modelo adequado para a sua silhueta. Mantenha-se atenta aos pequenos promenores que podem fazer toda a diferença.

Encontrar o vestido dos seus sonhos não tem de ser uma missão impossível, principalmente se já tiver uma noção do que pretende usar nesse dia em que tem direito a ser uma verdadeira rainha. 
Em primeiro lugar, adquira revistas da especialidade para desfolhar à vontade até encontrar o modelo que deseja para si. O próximo passo implica dedicar algum tempo a visitar lojas da especialidade, de preferência, na companhia da mãe, madrinha ou amigas mais chegadas. A ideia é obter uma opinião durante as provas, principalmente se for muito indecisa...
Conselho a ter sempre em conseideração: não se precipite a comprar um vestido.
Antes de tomar uma decisão final, experimente modelos de diversas lojas e só depois escolha aquele que mais lhe agrada no qual se sinta realmente bem!

Vestido

A escolha do modelo deve ser uma prioridade, mas não descuide os promenores, como, por exemplo, acor. Símbolo de pureza, o branco deixou de ser a tonalidade preferida para subir ao altar. De facto, hoje em dia, domina o pérola, o marfim, o rosa-claro ou até estampados delicados. Em relação ao tecido, opte por algo nobre, como a seda selvagem, a musselina, o cetim ou a organza.
cerimónias realizadas durante o dia pedem um look mais clean, confeccionado com um tecido de qualidade, de excelente corte e acabamento. No entanto, para cerimónias à noite, os modelos já podem ser mais elaborados, graças às sobreposições de tecidos, bordados e brilhos. Contudo, é importante salientar que a fisionomia determina o modelo mais indicado para ser uma noica deslumbrante. vejamos, agora alguns pontos a ter em consideração:

Alta e magra: Pode usar corpetes justos e decotes largos, saias amplas, franzidas na cintura, cauda e decotes.

Alta e roliça: O modelo estilo império acentua o busto, mas a saia, ao cair de forma esguia, torna-a mais elegante.

Baixa e magra: Prefira vestidos justos ao corpo, uma saia longa com cauda discreta. Deixe os ombros à mostra e não abdique de um discreto decote.

Baixa e gordinha: Opte pela linha evasé, pois veste bem, tal como os modelos de cintura baixa e saia longa, abrindo em cauda discreta, pois ajudam a disfarçar ancas largas.

Véu

Este belíssimo adorno, regra geral confeccionado com tule, desce pelos ombros e termina na cintura quando curto ou acompanha todo o corpo, quando é comprido, deslizando pelos chão enquanto caminha.
usar véu é uma tradição que ainda se mantém, embora muitas noivas abdiquem deste acessório ou optem por modelos mais leves, ou seja, os longos, sempre clássicos e chiques, ganharam versões minimalistas, com renda bordada e aplicações divinais. Caso decida levar véu, é aconselhável escolher um penteado que prenda os cabelos, de modo a obter um visual mais elegante. O curto, geralmente, é mais informal e apropriado para casamentos realizados de manhã ou á tarde. o longo, ao contrário, pede um vestido e um estilo de cerimónia mais formal. normalmente, é indicado para ambientes fechados. Em alternativa, poderá usar uma mantilha que se difrenencia na maneira de se posicionar na cabeça, ou seja, é mais pesada, como tal, fica junto ao rosto e ao corpo. Pode ser curta ou longa, de renda ou tule, com aplicações ou bordada artesanalmente, consoante o vestido. 

Grinalda

Para embelezar o véu, caso decida conjugá-lo com o vestido, saiba que poderá optar por colocar mais um acessório, como, por exemplo, tiaras prateadas, de desenhos discretos, enriquecidas por brilhantes. Em alternativa, leve uma grinalda de flores naturais com pérolas. Não tenha dúvida que ficará bonita!

Luvas

Nem todas as noivas apreciam este acessório, pois é considerado pouco prático. Gostos à parte, a verdade é que não é obrigatório, visto que combina smente com determinados modelos, como, por exemplo, com corpetes ou vestidos sem mangas. Existem modelos de diferentes tamanhos para uma conjugação perfeita.

Sapatos

É verdade que, hoje em dia, tem maior liberdade de escolha e poderá ter tendência para se "perder de amores" por modelos sofisticados e com saltos vertiginosos. No entanto, é conveniente não se esquecer que o dia de casamento será longo e um pouco cansativo. Como tal, a prioridade será escolher um modelo elegante com salto para parecer mais alta e que não magoe os pés ao longo do dia. Para além disso, o sapato pode ser em pele ou forrado co tecido do vestido. Em relação ao tamanho, é aconselhável que se sinta folgada ao caminhar ou enquanto permanece de pé. Tenha cuidado com os saltos demasiado altos, pois uma inclinação muito acentuada cansa com facilidade os pés, deixando-os doridos. 


 Fonte: Revista "Mulher Moderna" - Especial Noivas, Janeiro de 2007 



publicado por Suaveneno às 19:12
link do post | comentar | favorito

Despedida de Solteira

É verdade que os meses que antecedem a cerimónia exigem um enorme esforço por parte da noiva, que vive cada dia com mais stress. Contudo, quando estiver na recta final para o grande dia, convém descontrair e encarar o futuro com tranquilidade. Caso contrário, no dia em que é suposto estar parecida com uma princesa, subirá ao altar com o rosto demasiado cansado e umas olheiras enormes... Já para não mencionar que vai reinar o mau humor, sentindo-se, ainda, com pouca vontade de encarar a objectiva do fotógrafo. Se organizar o casamento com antecedência, distribuindo as tarefas pelos amigos e familiares mais próximos, terá mais tempo para cuidar de si e evitar momentos de tensão desnecessários.

Divirta-se ao Máximo


Partindo do princípio que este será um enlace para toda a vida, tem todos os motivos para festejar, de preferência, em grande estilo! Assim, reúna as amigas mais íntimas e comecem a elaborar o plano de festas. A ocasião exige algo irreverente, que fique registado na memória como uma experiência engraçada e super divertida .
A festa pode durar o dia todo, isso dependerá somente da vossa imaginação para organizar um programa em cheio, com imensas surpresas. Em alternativa, para quem é fã das saídas nocturnas, nada melhor que reservar um restaurante com uma ementa que desperte os sentidos, para logo de seguida seguir para um bar ou discoteca, onde não falte música e muita animação. A noiva será sempre o centro das atenções, logo, por que não presenteá-la com uma sessão de striptease ou um bolo com motivos sugestivos?
Neste evento, todas as pessoas podem, e devem, participar. Preparar uma surpresa para a noiva é igualmente agradável, desde que não sejam cometidos excessos. Como este tipo de festas costuma prolongar-se pela noite fora, convém que seja realizada durante o fim-de-semana, para conseguir descansar o suficiente e disfarçar os sinais de fadiga, típicos de uma noite agitada.

Fonte: Revista "Mulher Moderna" - Especial Noivas, Janeiro de 2007 



publicado por Suaveneno às 18:01
link do post | comentar | favorito

Sabia que...

A lei concede 11 dias úteis de férias, de devem ser combinadas, com antecedência, com a respectida entidade patronal.

Fonte: Revista "Mulher Moderna" - Especial Noivas, Janeiro de 2007 

 



publicado por Suaveneno às 12:58
link do post | comentar | favorito

Sábado, 17 de Fevereiro de 2007
Mais Burocracias... Curiosidades

Deveres do Casal

O casamento pressupõe um conjunto de responsabilidades que devem ser respeitadas mutuamente, de forma a zelar pela harmonia da relação. Este será o principal desafio de uma vida em comum que se deseja que seja para toda a eternidade.

Assistência - Dever de contribuir para a alimentação e restantes encargos referentes a um quotidiano a dois.

Coabitação - Obrigação de viver em comum sob o mesmo tecto e também de manterem relações sexuais.

Cooperação - Implica assumir em conjunto todas as responsabilidades inerentes à vida em família, como, por exemplo, divisão de tarefas domésticas, sustento e educação dos filhos.

Fidelidade - Sinónimo de dedicação e lealdade, este item inclui a proibição de qualquer dos cônjuges praticar actos sexuais com terceiros, ou seja, adultério. Para além disso, é importante demonstrar diariamente o amor que os une.

Respeito - Não lesar a integridade física ou moral do outro, assim como o seu bom nome, dignidade honra. Isto significa que têm de aprender a lidar com as vossas incompatibilidades , mantendo sempre a harmonia na relação.

A Questão do Apelido

Os noivos podem adoptar até dois dos apelidos do respectivo cônjuge. Contudo, é mais frequente ser apenas a mulher a assinar o apelido do marido. Nos dias de hoje, também acontece os casais optarem por manter o apelido de solteiro, uma vez que não existe nenhum impedimento legal.

Alteração do Estado Civil

Para além de adoptar ou não o apelido do marido, provavelmente, terá também que alterar a sua morada, por isso, não se esqueça que, após o matrimónio, deverão proceder à actualização de documentos importantes, como, por exemplo, bilhete de identidade e carta de condução.  

Fonte: Revista "Mulher Moderna" - Especial Noivas, Janeiro de 2007 



publicado por Suaveneno às 20:40
link do post | comentar | favorito

Impedimentos...

Embora incialmente este processo possa parecer demasiado burocrático, na prática pretende-se confirmar se existe ou não algum factor que, de alguma forma, possa possibilitar a concretização do casamento. Por exemplo, uma pessoa com idade inferior a 16 anos necessita da autorização, por escrito, dos pais para casar. Saiba ainda que a não dissolução de um casamento anterior de um dos nubentes, por morte do cônjuge ou por divórcio, também impossibilita a concretização do mesmo, tal como a demência notória, interdição ou inabilitação psíquica de um dos nubentes. Nesta matéria, importa ainda referir as relações familiares, em linha recta, entre noivos; as relações de parentesco o segundo grau da liha colateral; relação de afinidade de parentesco em linha recta e condenação por homicídio ou por tentativa de homicídio, como autor ou cúmplice.



publicado por Suaveneno às 20:20
link do post | comentar | favorito

Sexta-feira, 16 de Fevereiro de 2007
Burocracias que é preciso respeitar...

Para contrair matrimónio civil ou religioso, necessita de ultrapassar determinados aspectos burocráticos.
Veja o que precisa de fazer para estar tudo em ordem.

A partir do momento em que o casal decide contrair matrimónio, independentemente de ser no civil ou religioso, tem que cumprir uma série de formalidades preliminares, que deverão decorrer na conservatória do registo civil da área de residência de um dos noivos.
Nos documentos tem de constar as seguintes informações relativas aos nubentes:

Nome;
Estado Civil;
Morada;
Data de nascimento;
Nome completo dos pais;
indicação da conservatória do registo civil ou paróquia onde pretendem realizar a cerimónia.

O processo deve realizar-se num periodo que compreende um máximo de 90 dias e um minimo de 22 antes da data pretendida. Um edital é afixado durante oito dias, de forma a tornar pública a intenção do casal em casar. Se, ao fim desse tempo, não se registar nehuma denúncia devidamente comprovada que impeça a concretização do casamento, será passado um certificado para que os noivos possam prosseguir com as formalidades exigidas.

Cerimónia Civil

A união realiza-se na data e hora escolhidas pelos noivos, na presença do conservador, podendo decorrer numa conservatória ou num local designado pelo casal. Na cerimónia, que costuma ser curta, o notário profere algumas palavras antes de ser confirmada, através da assinatura dos noivos e respectivos padrinhos, a aceitação mútua do compromisso.

Regime de Bens

Comunhão de Bens - Qualquer bem adquirido antes ou depois do matrimónio passa a pertencer ao casal, independentemente de quem os tenha angariado.
Este regime é proibido por lei no caso de existirem filhos de um antigo casamento.

Comunhão de Bens Adquiridos - Somente os bens obtidos após o casamento são pretença de ambos, pois o que cada cônjuge tinha antes de celebrar a união continua a ser seu.
Qualquer bem herdado ou doado depois do matrimónio pertence apenas a quem recebe por direito.

Separação de Bens - Cada cônjuge conserva o património adquirido antes da celebração do casamento. Neste caso, não se verifica a partilha de bens no presente ou no futuro.

Convenção Antenupcial - Caso os noivos não pretendam escolher outro regime, poderão optar pela convenção antenupcial, que deve ser lavrada na conservatória do registo civil, antes da celebração do casamento.

Documentação Necessária

Bilhete de identidade de cada um (a apresentação de passaporte ou título de residência no caso de nubentes estrangeiros);
Certidão de nascimento de ambos (emitida há menos de seis meses);
Escritura ou auto de convenção antenupcial, se tiver sido celebrada, no sentido de estabelecer o regime de bens específico.

Celebração Católica

Quem casar segundo os mandamentos da Igreja Católica terá de instaurar o processo preliminar de publicações, com a diferença de que este decorre na Igreja. A autorização do conservador do registo civil é enviada para a paróquia, para que também aí seja afixado o edital. A Igreja Católica exige a prova de baptismo dos noivos. Os cursos de preparação para o matrimónio, mais conhecido por CPM, é, muitas vezes, uma condição imposta por alguns dos párocos.
Posteriormente, o padre responsável pela celebração da boda enviará uma comunicação à conservatória do registo civil, para que se proceda ao respectivo registo.  

 Fonte: Revista "Mulher Moderna" - Especial Noivas, Janeiro de 2007 



publicado por Suaveneno às 17:07
link do post | comentar | favorito

Fotos obrigatórias em qualquer casamento...

Pessoas:

A noiva com os pais
O noivo com os pais
Os noivos com os padrinhos
A noiva com os irmãos
O noivo com os irmãos
Os noivos com os meninos das alianças
A noiva com as damas de honor (se for o caso)
A noiva com as amigas
O noivo com os amigos
Os noivos com os amigos comuns

Situações

A entrada na Igreja do noivo
A entrada na Igreja da noiva
A troca das alianças
A saída da Igreja dos noivos
Arroz e petalas sobre os noivos à saída da Igreja
A primeira dança (noivos)
Corte do bolo de noiva
Brinde e discursos
A partida dos noivos

(apenas sugestões)

Fonte: Jornal Fórum, 16 de Fevereiro de 2006



publicado por Suaveneno às 16:58
link do post | comentar | favorito

Quarta-feira, 14 de Fevereiro de 2007
SOL E LUA...

0004cffrQuando o Sol e a Lua se encontraram pela primeira vez, se apaixonaram perdidamente e a partir daí começaram a viver um grande amor.

Acontece que o mundo ainda não existia e no dia que Deus resolveu criá-lo, deu-lhes então o toque final... o brilho!

Ficou também decidido que o Sol iluminaria o dia e que a Lua iluminaria a noite, sendo assim, seriam obrigados a viverem separados.

Abateu-se sobre eles uma grande tristeza quando tomaram conhecimento de que nunca mais se encontrariam.

A Lua foi ficando cada vez mais amargurada, mesmo com o brilho que Deus havia lhe dado, ela foi-se tornando solitária.

O Sol por sua vez havia ganho um titulo de nobreza "Astro Rei", mas isso também não o fez feliz.

Deus então chamou-os e explicou-lhes: vocês não devem ficar tristes, ambos agora já possuem um brilho próprio.

Tu Lua, iluminarás as noites frias e quentes, encantarás os enamorados e serás diversas vezes motivo de poesias.

Quanto a ti Sol, sustentarás esse titulo porque serás o mais importante dos astros, iluminarás a Terra durante o dia, fornecerás calor para os seres humanos e a tua simples presença fará as pessoas mais felizes.

A Lua entristeceu-se muito com o seu terrível destino e chorou dias a fio... Já o Sol ao ver a Lua sofrer tanto, decidiu que não podia deixar-se abater pois teria que dar-lhe forças e ajudá-la a aceitar o que havia ter sido decidido por Deus.

No entanto a sua preocupação era tão grande que resolveu fazer um pedido a Deus.
Senhor ajude a Lua, por favor, ela é mais frágil do que eu, não suportará a solidão...
Deus em sua imensa bondade criou então as estrelas para fazerem companhia à Lua.

A Lua sempre que está muito triste recorres às estrelas que fazem de tudo para consolá-la mas quase sempre não conseguem...
Hoje a Lua e o Sol vivem assim...separados, o Sol finge que é feliz, a Lua não consegue esconder que é triste.

O Sol ainda esquenta de paixão pela Lua, e ela ainda vive na escuridão da saudade.

Dizem que a ordem de Deus era que a Lua fosse sempre cheia e luminosa, mas ela não consegue sempre isso... porque ela é mulher, e uma mulher tem fases.
Quando feliz consegue ser cheia, mas quando é infeliz é minguante e quando minguante nem sequer é possível ver o seu brilho.

Lua e Sol seguem seu destino, ele solitário, mas forte. Ela acompanhada pelas estrelas, mas fraca.

O humanos tentam a todo o instante conquistá-la, como se isso fosse possível. Vez por outra alguns deles vão até ela e voltam sempre sozinhos, nenhum deles já mais conseguiu traze-la até à Terra, nenhum deles jamais conseguiu conquistá-la , por mais que achem que sim.

Acontece que Deus decidiu que nenhum amor nesse mundo seria de todo impossível, nem mesmo o da Lua e do Sol... então criou o Eclipse.

Hoje o Sol e a Lua vivem à espera desse instante, desses raros momentos que lhes foram concedidos e que custam tanto a acontecer.

Quando olhares para o céu, a partir de agora e ver que o Sol encobriu a Lua, é porque ele deitou-se sobre ela e começaram a amar-se e é ao acto desse amor que se deu o nome de eclipse.

Importante lembrar que o brilho do êxtase deles é tão grande que aconselhasse não olhar apara o céu nesse momento, os olhos podem cegar de ver tanto amor...

Silvana Duboc

É tudo isto que eu sinto por ti... um eclipse entre o Sol, que és tu e a Lua que sou eu...

0004a3dc Dedicado a RS


sinto-me: muito feliz...
música: André Sardet - Feitiço

publicado por Suaveneno às 18:46
link do post | comentar | favorito

mais sobre mim
Fevereiro 2012
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2
3
4

5
6
7
8
9
10
11

12
13
14
15
16
17
18

20
21
22
23
24
25

26
27
28
29


posts recentes

Noticias atrasadas...

...

Ai minha vida...

Outra Carta...

Tingir roupa na máquina d...

Resposta:...

Onde é que vou parar este...

Sugestão de menu diário p...

Bolo de Chocolate...

Finalmente Férias...

arquivos

Fevereiro 2012

Setembro 2011

Julho 2011

Dezembro 2010

Novembro 2010

Setembro 2010

Agosto 2010

Julho 2010

Junho 2010

Maio 2010

Abril 2010

Março 2010

Fevereiro 2010

Janeiro 2010

Dezembro 2009

Outubro 2009

Setembro 2009

Agosto 2009

Julho 2009

Junho 2009

Abril 2009

Fevereiro 2009

Janeiro 2009

Dezembro 2008

Julho 2008

Maio 2008

Abril 2008

Março 2008

Fevereiro 2008

Janeiro 2008

Dezembro 2007

Novembro 2007

Outubro 2007

Setembro 2007

Agosto 2007

Julho 2007

Junho 2007

Maio 2007

Abril 2007

Março 2007

Fevereiro 2007

Janeiro 2007

Dezembro 2006

Outubro 2006

Setembro 2006

Agosto 2006

tags

todas as tags

links
pesquisar
 
blogs SAPO
subscrever feeds